Rock in Rio 2018: Espaço da DICAD com bastante recetividade

1 1 690 400
25 Junho 2018

 

Mais de 1.500 pessoas abordadas, 188 testes de alcoolemia, 330 preservativos distribuídos, cerca de 2.500 pulseiras 18+ colocadas, 71 estabelecimentos e 163 colaboradores contactados sobre venda responsável de álcool. Estes são os números major do primeiro dia da Divisão de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e Dependências (DICAD) na edição deste ano do Rock in Rio (RIR). Após o sucesso do primeiro fim-de-semana, a iniciativa vai continuar a 29 e 30 de junho. Aparece, “Let’s talk”!



“Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades”, já escrevia Luís Vaz de Camões e de facto, ainda bem que assim é. Foi com bastante naturalidade e muita curiosidade que os frequentadores do RiR 2018 se dirigiram ao espaço da DICAD da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT). Ali fazem-se testes de alcoolemia e de monóxido de carbono (a fumadores), distribuem-se preservativos, géis lubrificantes e chupa-chupas, aproveitando o momento para o esclarecer dúvidas e aconselhar sobre consumos, tudo num ambiente muito informal e com o objetivo de reduzir riscos.



Não foi de estranhar, por isso, que duas amigas se viessem a revelar mãe e filha e quisessem fazer o teste de alcoolemia. Cristina, a mãe, diz que tem pouca tolerância ao álcool e por isso evita bebê-lo. Já Ana, a filha, está um pouco mais à vontade nesta matéria. Ambas concordam que ações deste tipo são importantes para consciencializar os jovens (e não só) para que no grupo haja sempre quem não beba e possa conduzir. O momento foi aproveitado por Sandra, enfermeira da DICAD, para explicar que a menor resistência do sexo feminino ao álcool não é um mito.

Sem dúvida que a preocupação mais premente de festivaleiros e da equipa está relacionada com o consumo de álcool, procurando os primeiros perceber o impacto do que já tinham consumido até à realização do teste, e tentando os segundos fazer a sensibilização para os riscos de conduzir com álcool no sangue.

 

 

 



Em simultâneo, e pela primeira vez, a DICAD sensibilizou os operadores e funcionários de bares e restaurantes, reforçando esses contactos ao longo do dia com distribuição de crachás alusivos à não disponibilização de bebidas alcoólicas a menores. A recetividade foi muito positiva – tanto mais que se trata de unir esforços para a venda e consumo responsáveis.


Espalhados por todo o recinto também estiveram voluntários formados pela DICAD que distribuíram as pulseiras verdes da ação 18 +.

 

Resultante do protocolo celebrado entre a ARSLVT, o RIR e a Associação Nacional de Empresas de Bebidas Espirituosas (ANEBE), esta intervenção permite a fácil identificação de jovens que podem não aparentar a sua maioridade. E igualmente neste caso a reação dos jovens abordados foi bastante positiva, certamente facilitada por uma estratégia entre pares.



A reforçar a importância da iniciativa da DICAD num estival de música com a dimensão do RIR, Luís Pisco visitou o espaço da DICAD e pôde testemunhar a azáfama dos profissionais e utentes. Juntamente com Joaquim Fonseca, Coordenador da DICAD, o dirigente da ARSLVT salientou a versatilidade da intervenção e a adesão dos festivaleiros. Já Joaquim Fonseca sublinhou a política de redução de riscos e minimização de dados, sublinhando que se poderem contribuir para mudanças de hábitos, tanto melhor.

Consulte o Facebook da ARSLVT e fique a par das notícias da Comunicação Social sobre a nossa participação no RIR, bem como os posts sobre o evento.