SES inaugura ressonância magnética e TAC no Médio Tejo

Rm tac 1 1 690 400
19 Novembro 2021

O Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) inaugurou, a 17 de novembro, os novos equipamentos de ressonância magnética (RM), na unidade de Abrantes, e de tomografia axial computorizada (TAC), na unidade de Torres Novas. As cerimónias decorreram no âmbito do 20º aniversário do CHMT e contaram com a presença de Diogo Serras Lopes, Secretário de Estado da Saúde (SES). Laura Silveira e Margarida Rato, Vice-presidente do Conselho Diretivo e Diretora do Departamento de Planeamento e Contratualização da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), respetivamente, também participaram na visita.

 

Durante a sessão que assinalou a inauguração da RM no Hospital Doutor Manoel Constâncio, em Abrantes, Diogo Serras Lopes manifestou o seu agrado pela diferença que os novos equipamentos trazem aos profissionais e utentes do CHMT, recordando que a RM e a TAC fazem parte de “mais de 55 milhões de euros de investimento” dedicado a equipamentos que “serão substituídos ou implementados até final do ano”.

Para o SES, o equipamento agora inaugurado traduz-se numa maior rapidez de diagnóstico e na integração desse diagnóstico, assim como em motivação para profissionais do CHMT, reforçando a resposta do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

 

Fazendo uma referência ao pico da COVID-19 que Portugal vivenciou no início deste ano, Diogo Serras Lopes lembrou que “o CHMT não se limitou a cumprir o seu serviço e foi mais além”, ao receber doentes de outros hospitais, sob a coordenação centralizada da ARSLVT. “Isso permitiu salvar vidas” e foi “um exemplo para todo o País”.

Por sua vez, Casimiro Ramos, Presidente do Conselho de Administração do CHMT, salientou a importância da RM e da TAC. De acordo com aquele responsável, este investimento aumenta a capacidade de resposta cirúrgica e diminui o recurso ao exterior para a realização destes exames.

O mesmo responsável também referiu o investimento em obras nas instalações das várias unidades do CHMT, salientando igualmente que o nível de resposta das unidades de Abrantes, Tomar e Torres Novas se deve “ao empenho e profissionalismo inexcedível” dos cerca de 2.300 profissionais, ao que se juntam as parcerias com os Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES) e com os municípios.

No Hospital Rainha Santa Isabel, em Torres Novas, foram visitados o Serviço de Reabilitação Cardiorrespiratória e, no Serviço de Imagiologia, o espaço equipado com o novo aparelho de TAC.

 

Diogo Serras Lopes reforçou a mensagem transmitida em Abrantes e salientou que o CHMT dá resposta a utentes oriundos de 13 concelhos, sendo prova de que é possível chegar a consensos com todas as entidades envolvidas nas respostas à população.

Nas duas cerimónias estiveram presentes Diana Leiria, Diretora Executiva do ACES Médio Tejo, e os autarcas de Abrantes e de Torres Novas, entre outros.