Bloco Operatório do HFF passa a dispor de duas “salas inteligentes”

Hff 1 1 690 400
02 Junho 2021


O Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca (HFF) deu mais um passo na renovação tecnológica do seu bloco operatório: estão disponíveis duas “salas inteligentes”, que vêm permitir a entrada na era digital de um conjunto de cirurgias. O investimento realizado foi na ordem dos 100 mil euros.

No âmbito da remodelação e reabilitação do bloco operatório do HFF, concluída recentemente, concretizou-se agora um outro projeto de grande relevância, através da integração em duas salas de um conjunto de equipamento e software. Estas denominadas “salas inteligentes” vêm permitir melhores resultados nas intervenções cirúrgicas num conjunto alargado de especialidades médicas.

“Estas duas salas representam um salto tecnológico muito importante, inserido num projeto mais vasto de renovação das 11 salas cirúrgicas do HFF”, explica Carlos Marques, médico e diretor do bloco operatório deste Hospital. Com estas duas salas, é possível “toda uma dinâmica e partilha de informação que traz mais-valias muito importantes relativamente a uma sala convencional”, refere. 

 



A integração é a palavra de ordem na sala inteligente, sendo possível aceder em tempo real aos dados atualizados do doente, como por exemplo os exames imagiológicos, o que permite uma melhor tomada de decisão no decurso das cirurgias. Tudo isto através de softwares e aplicativos específicos que controlam a gestão da informação e também através de um conjunto de monitores de alta-definição que permitem uma adequada visualização de toda essa informação.

As vantagens deste tipo de salas são várias. A começar pelas vantagens para os doentes, pois possibilitam um aumento da precisão e procedimentos menos invasivos, o que se traduz em maior conforto e segurança.

Depois, a componente tecnológica destas salas permite também um aumento da eficiência da utilização dos tempos cirúrgicos. Uma vez que é possível guardar as especificações de equipamento para os cirurgiões ou para equipas cirúrgicas, evitam-se perdas de tempo na configuração da sala a cada nova intervenção.

A tecnologia presente nestas salas permite ainda, destaca Carlos Marques, “a transmissão em tempo real das cirurgias, podendo ser visualizadas em qualquer local desde que com acesso à internet”. Deste modo, as “salas inteligentes” são também um recurso importante para a área da formação, possibilitando difundir o conhecimento na área cirúrgica por outros profissionais de saúde, sejam da própria Instituição ou de outros hospitais, bem como abrem a possibilidade do envolvimento remoto de outros especialistas no processo intraoperatório.

Urologia, cirurgia-geral, ortopedia e ginecologia são algumas das especialidades em que estas novas salas vão possibilitar a entrada num novo patamar técnico. Naturalmente que poderão ser utilizadas para qualquer outra especialidade, sobretudo “sempre que a utilização destes recursos tecnológicos possa contribuir para alcançar os melhores resultados nas cirurgias que proporcionamos aos utentes do HFF”, conclui Carlos Marques.