Vídeo assinala Dia Mundial da Doação de Leite Humano

Leite 1 1 690 400
20 Maio 2020

 

A edição de 2020 do Dia Mundial da Doação de Leite Humano foi especial na Região: profissionais de saúde uniram-se a dadoras e a mães de bebés prematuros que usufruíram da dádiva para assinalar a efeméride através de um vídeo divulgado nas redes sociais.

A Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) associa-se a essa atividade através da divulgação do vídeo, assim como o texto enquadrador que nos foi enviado pelo Agrupamento de Centros de Saúde Lisboa Ocidental e Oeiras / UCC Cuidar. A todos, muitos parabéns!

Se está grávida e pensa amamentar, informe-se sobre a doação de leite humano e a sua importância para a vida e saúde de recém-nascidos, em especial dos bebés prematuros. 


O Dia Mundial da Doação de Leite Humano

O Dia Mundial de Doação de Leite Humano foi definido durante o V Congresso Brasileiro de Bancos de Leite Humano e o I Fórum de Cooperação Internacional em Bancos de Leite Humano, realizado em Setembro de 2010 em Brasília, quando foi elaborada a Carta de Brasília. Este documento foi assinado por representantes dos 23 países integrados na rede, na qual Portugal teve a honra de ser incluído.

Neste dia é realçada a importância do acesso universal ao leite humano por recém-nascidos de risco, através de ações de sensibilização, capazes de assegurar a oferta de leite humano e realçando as condições de segurança para a sua utilização.

Em Portugal, desde 2010, o Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central mantém em funcionamento um Banco de Leite Humano (até à data o único em Portugal).

Nesse ano, foi assumido pela OMS o princípio de que “na impossibilidade de se dispor de leite da própria mãe, a melhor alternativa é o leite humano de um Banco de Leite, especialmente nos recém-nascidos muito prematuros”.


Ao longo destes 10 anos o Banco de Leite contou com a altruísmo de 281 dadoras, que se dispuseram a doar o excedente do leite da amamentação dos seus filhos, totalizando aproximadamente 2900 litros.

Esse leite, depois de analisado e tratado, foi oferecido a todos os grandes prematuros nascidos no CHULC (MAC, HDE, H Sta Marta) e outros hospitais da Grande Lisboa (Hospital Dr. Fernando da Fonseca [cerca de 55 litros em 10 anos] e Hospital de Cascais [cerca de 11 litros em 2 anos]), num total de cerca de 1600 prematuros.

Estima-se que se evitaram cerca de 30 enterocolites, 15 cirurgias digestivas e 7 a 8 intestinos curtos associados a esta patologia. Também se diminuíram as infeções nosocomiais associadas ao uso de cateteres, obteve melhor tolerância digestiva e diminuição do tempo de internamento.

Em 2017 foi estabelecido um protocolo de parceria com o ACES Lisboa Ocidental e Oeiras, cujo trabalho tem sido da maior importância no crescimento desta atividade, permitindo uma descentralização do processo e maior proximidade das dadoras.
Está em estudo a articulação com outra estrutura de cuidados primários.

Também a parceria com uma Instituição de Solidariedade Social e com uma empresa de prestação de serviços, tem sido determinante na colheita domiciliária.

Contámos neste crescimento com o empenho dos Conselhos de Administração do CHULC, do ACES Lisboa Ocidental e Oeiras e da DGS.

 


Neste dia e no período difícil que estamos a viver, repleto de medos e de dúvidas, é particularmente importante um agradecimento a todas as dadoras, que ao longo destes anos generosamente partilharam o seu leite.


Asseguraram, com essa partilha, a saúde de outros recém-nascidos, cujas mães têm uma quantidade de leite insuficiente, não o têm ou não o podem dar por razões de saúde.

Garantem, com o seu empenho e dos restantes profissionais, a manutenção da máxima segurança em todos os passos deste processo.

É nestes momentos mais difíceis que melhor transparece o altruísmo e coragem para a concretização da solidariedade.

Neste Dia Mundial da Doação de Leite Humano, que decorre entre nós nos últimos 10 anos, gostaríamos de salientar este movimento solidário destas mães e profissionais, que no quotidiano dão o seu melhor, neste caso, leite humano, que é saúde e vida para centenas, já milhares de prematuros das nossas Unidades de Cuidados Intensivos.

Muito obrigado às dadoras atuais e do passado que, com os restantes profissionais, são o elo mais importante que tem possibilitado a viabilização deste projeto.