CHO criar àreas dedicadas à COVID-19 e disponibiliza contactos de apoio a utentes Não-COVID

Oeste 1 690 400
25 Março 2020

 

No âmbito da pandemia COVID-19 o Centro Hospitalar do Oeste (CHO) definiu novos circuitos nas suas urgências médico-cirúrgicas, criando áreas específicas para receber os casos suspeitos, separadas das habituais áreas para receber os restantes doentes com outras patologias. Estão de igual modo preconizadas áreas específicas para internamento de doentes infetados com circuitos independentes para doentes e profissionais.

O CHO alerta a população que apenas se deve dirigir à urgência hospitalar após contacto com a Linha SNS 24 (808 24 24 24). Assim, todas as pessoas que desenvolvam quadro respiratório agudo de tosse (persistente ou agravamento de tosse habitual), ou febre (temperatura ≥ 38.0ºC), ou dificuldade respiratória, devem ligar para a Linha SNS 24.

A avaliação pela Linha SNS 24 fará o encaminhamento adequado a cada situação clínica, que poderá implicar o isolamento no domicílio e sob vigilância; a avaliação médica em Áreas Dedicadas COVID-19 nos Cuidados de Saúde Primários (ADC-COMUNIDADE) ou a avaliação médica em Áreas Dedicadas COVID-19 nos Serviços de Urgência do SNS (ADC-SU).

Caso seja encaminhado para a Urgência médico-cirúrgica da Unidade de Caldas da Rainha, informa-se que na entrada está alocado um enfermeiro que fará uma pré-triagem e encaminhará o doente para o local apropriado de atendimento: Urgência Pediátrica, Obstétrica/Ginecológica ou Geral. No período entre as 00h e as 08h o utente deverá acionar uma campainha para chamar o enfermeiro. Doentes com queixas respiratórias (tosse, febre e falta de ar) serão encaminhados de imediato para Zona de Triagem Respiratória.

Na Urgência médico-cirúrgica da Unidade de Torres Vedras, os utentes com queixas respiratórias (tosse, febre e falta de ar) deverão dirigir-se ao Balcão 5 (à esquerda da entrada do Serviço de urgência, no exterior) onde será recebido por um enfermeiro que, após um questionário específico para validação de caso suspeito, encaminhará os mesmos para o espaço da Consulta Externa - Zona de Triagem Respiratória. Para as crianças o procedimento é idêntico, sendo as crianças encaminhadas para Serviço de Pediatria, onde existem áreas específicas para isolamento pediátrico.

O Centro Hospitalar do Oeste aproveita ainda para relembrar que os episódios de urgência triados com as cores verde (pouco urgente) ou azul (não urgente) da triagem de Manchester, estão a ser orientados para os Cuidados de Saúde Primários – ACES Oeste Norte e ACES Oeste Sul. Nestes casos, o utente deverá contatar o seu Centro de Saúde ou médico assistente e seguir as orientações que lhe forem transmitidas. Os utentes devem contactar o seu centro de saúde preferencialmente por telefone ou por email. Apenas se devem deslocar quando for absolutamente necessário ou indicação do médico ou enfermeiro após contacto telefónico.

Todos os utentes com queixas respiratórias da área de Peniche serão encaminhados para a Urgência médico-cirúrgica da Unidade de Caldas da Rainha.

 

Centro Hospitalar do Oeste disponibiliza contactos de apoio aos Utentes para questões não suspeitas de COVID-19

 

também no âmbito do Plano de Contingência implementado para lidar com a pandemia COVID-19, e em cumprimento das normas emitidas pelo Governo, o CHO adotou medidas restritivas no acesso às instalações e adiamento de toda a atividade clínica não urgente, nomeadamente cirurgias, meios complementares de diagnóstico e terapêutica e consultas externas.

Com as limitações de circulação decorrentes desta pandemia, o Centro Hospitalar do Oeste pretende agora, mais do que nunca, promover o contacto telefónico ou via e-mail, no sentido de dar o suporte necessário às questões dos utentes desta região.

Assim, para qualquer esclarecimento de dúvidas e encaminhamento necessário, divulgam-se os seguintes contactos, apelando à sua utilização para situações não suspeitas de COVID-19:



Recordam-se as medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença:

• tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo;
• lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%;
• evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória;
• evitar tocar na cara com as mãos;
• evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado.

O Conselho de Administração do CHO lamenta os transtornos causados, mas está certo da compreensão de todos. Reforça-se o empenho dos profissionais no cumprimento da missão daquele centro hospitalar.

Recorde-se que o CHO integra os hospitais de Caldas da Rainha, Torres Vedras e Peniche, tendo uma área de influência constituída pelas populações dos concelhos de Caldas da Rainha, Óbidos, Peniche, Bombarral, Torres Vedras, Cadaval e Lourinhã e de parte dos concelhos de Alcobaça e de Mafra.