Enfermeiras do ACES Médio Tejo fazem preparação para o parto por videoconferência

Cpp 4 1 690 400
23 Março 2020


Nestes dias difíceis, as enfermeiras especialistas em Saúde Materna e Obstétrica (EESMO) do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Médio Tejo não baixaram os braços e encontraram uma forma de dar continuidade aos Cursos de Preparação para o Nascimento e Parentalidade com as suas grávidas, mesmo que à distância e com recurso à videoconferência.

Parabéns pela iniciativa!

Divulgamos aqui o artigo que o grupo de EESMO nos fez chegar:

Cuidar na parentalidade à distância…em tempos de crise!


Os Cursos de Preparação para o Nascimento e Parentalidade representam uma forma de cuidados especializados às grávidas, casais e famílias que promovem adaptações físicas, psicológicas e sociais da gravidez, parto e pós-parto mais saudáveis, satisfatórias e seguras.

As Enfermeiras Especialistas em Saúde Materna e Obstétrica (ESMO) desempenham um papel fundamental no terceiro trimestre de gravidez. Mais do que desmistificar crenças, reduzir o medo e capacitar a mulher/casal para facilitarem e serem ativos no trabalho de parto, são exploradas temáticas como os desconfortos da gravidez e como aliviar, as alterações emocionais da gravidez e depressão pós-parto, a alimentação do bebé e amamentação, os cuidados ao recém-nascido entre muitos outros!

Estas sessões em grupo beneficiam a aprendizagem, o esclarecimento de dúvidas e melhoram a saúde mental.

Ora, mas vivemos uma época de crise, ou como dizem alguns, de uma verdadeira guerra! As pessoas não se podem juntar, e as intervenções de saúde em grupo encontram-se suspensas por tempo indeterminado…também as consultas programadas de vigilância foram afectadas, reduzindo-se a 3 ou 4 consultas nas gravidezes de baixo risco.

Neste âmbito, numa altura em que também as grávidas e respectivas famílias se encontram ainda mais assustadas pela ameaça do Covid-19, pois delas depende mais do uma vida e ainda não temos conhecimento estruturado e consolidado acerca das reais consequências deste inimigo para esta população específica, o grupo de enfermeiras ESMO do ACES Médio Tejo preocupou-se em dar resposta a esta necessidade de trabalhar – ainda que à distância – com estes grupos.

Assim, surgiu a ideia de concretizarmos os planeamento das sessões exactamente da mesma forma, mas por videoconferência, agendando horários compatíveis com todas(os) e, durante os quais, cada participante pode colocar a sua questão ou mesmo treinar alguns exercícios e posturas no conforto da sua casa.

Na UCC Ourém, apesar de alguns constrangimentos logísticos, este modelo de intervenção revelou-se um sucesso, na medida em que conseguimos manter um acompanhamento próximo muito valorizado pelas intervenientes! Pretendemos manter este apoio enquanto nos for possível, pois consideramos uma mais-valia para as nossas famílias e comunidade!

Cristiana Gomes, Enfª ESMO no ACES Médio Tejo