CHS promove a continuidade dos cuidados de enfermagem aos recém nascidos prematuros no domicílio

Prematuridade 1 690 400
31 Julho 2019

Este projeto, iniciativa da equipa de Enfermagem da Unidade de Cuidados Especiais Neonatais (UCEN) do Centro Hospitalar de Setúbal (CHS) garante visitas domiciliárias planeadas, entre as primeiras 48 e 72 horas, após a alta, às crianças nascidas prematuramente.

De acordo com o enfermeiro chefe da UCEN, Vítor Varela, esta iniciativa surge após “ a perceção das necessidades e dificuldades dos pais com filhos prematuros, traduzida pela necessidade dos pais quererem prorrogar o momento da alta do seu bebé com receio de irem para casa sem apoio, dos diversos contatos com o serviço para o esclarecimento de dúvidas e à recorrência ao Serviço de Urgência Pediátrica desnecessariamente”. De forma a evitar, especialmente, esta recorrência ao Serviço de Urgência, este projeto foi posto em prática em 2017, com o objetivo de melhorar a qualidade da assistência de enfermagem ao recém-nascido pré termo após o internamento na UCEN; reduzir a taxa de reinternamento do bebé prematuro no decorrer do primeiro mês de vida; promover competências parentais no domicílio e promover a satisfação da família. Abrangendo o perímetro da cidade de Setúbal esta visita planeada depende da disponibilidade e consentimento dos progenitores ou familiares do bebé prematuro.

Com uma taxa de crianças nascidas prematuramente a fixar-se nos 10% entre os partos realizados no CHS, no ano de 2018 “já conseguimos reduzir o número de reinternamentos de prematuros”. O que faz com que o balanço deste projeto seja “muitíssimo positivo”. Apenas um bebé, que foi acompanhado no domicílio pelos enfermeiros da UCEN, recorreu às urgências por recomendação do próprio profissional de saúde.

Desde o início do projeto a equipa de acompanhamento do prematuro já visitou 47 crianças pré termo. O balanço desta assistência domiciliária aponta para a diminuição da procura do serviço de urgência por parte dos progenitores destes prematuros, o tempo de hospitalização e consequentemente “diminuímos os gastos em saúde, uma vez que acabou por ser criada uma otimização dos serviços públicos de saúde.

Foram adquiridas competências e uma melhor adaptação à parentalidade das famílias de prematuros”. O enfermeiro Vítor Varela destaca ainda que “no decorrer deste projeto é também promovida a literacia em saúde ligada à criança reduzindo assim o impacto na prorrogação da alta do recém-nascido pré termo ”. De referir que estas visitas domiciliaras têm sido muito bem aceites pelos pais/famílias destes bebés especiais. Por outro lado “conseguimos dar uma maior valorização ao Serviço Nacional de Saúde e aos respetivos profissionais de saúde” conclui o enfermeiro chefe da UCEN do CHS, recordando que o CHS é uma unidade de saúde certificada como Hospital Amigo dos Bebés.