Hospitais da Região reúnem com Comissão Nacional de Trauma

Trauma 1 1 690 400
17 Abril 2019


Dar a conhecer o trabalho da Comissão Nacional de Trauma (CNT) e quais as novidades nesta matéria foram os principais objetivos de uma reunião que decorreu a 16 de abril, no Auditório do Infarmed, em Lisboa. O encontro, que reuniu dirigentes e profissionais de saúde de vários hospitais da Região, teve a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) como anfitriã, tendo sido liderado por António Marques, Presidente da CNT.


Acompanhado por Luís Pisco e Laura Silveira, Presidente e Vice-presidente da ARSLVT, respetivamente, António Marques anunciou que em breve será formalizada uma Via Verde para o Trauma e que a CNT vai promover, junto dos hospitais e seus profissionais, a adoção das boas práticas já existentes, definidas há alguns anos pela Direção-Geral da Saúde e pela Ordem dos Médicos. Para o clínico, não vale a pena “inventar a roda”, e por isso os dois documentos devem ser entendidos como referenciais importantes para todas as pessoas que trabalham nesta área.

O mesmo interlocutor apelou aos presentes para que a muito curto-prazo os hospitais com serviços de urgência médico-cirúrgica e polivalente da Região indiquem os seus coordenadores locais de trauma, uma espécie de provedores desta área de intervenção. Esta indicação permitirá criar uma Comissão Regional do Trauma, que pugnará pela uniformização de critérios e pelas questões de auditoria e qualidade, entre outros aspetos.



A existência de um registo nacional e a possibilidade de gerir camas online foram outras das temáticas abordadas.

Recorde-se que a CNT foi criada pelo Governo em outubro de 2017 e integra representantes dos diversos organismos do Ministério da Saúde, com o apoio de peritos nomeados a título individual ou institucional para coadjuvar nos trabalhos. No total são 85 as pessoas envolvidas no trabalho coordenado pela CNT. Identificar e fomentar a divulgação e implementação de normas de boa prática, rever e promover as equipas de trauma e garantir a implementação eficaz da Via Verde do Trauma são alguns dos seus objetivos.