COVID-19

Voluntariado

A Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, I.P. (ARSLVT, I.P.), face à realidade que o país está a viver, associada à propagação do vírus COVID-19, aceita inscrições de voluntários que pretendam auxiliar esta ARS, nas ações que esta vai desenvolver junto dos portugueses, em reforço do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

O preenchimento desta ficha de inscrição destina-se a todos os profissionais das várias ciências da saúde que pretendam apoiar a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, I.P., de forma voluntária, no contexto da pandemia por COVID-19.

Os principais locais de atuação dos voluntários serão as unidades do SNS.

Regulamento_do_Voluntariado_da_ARSLVT__I.P.

Para mais informações contacte-nos através do email voluntarios.arslvt@arslvt.min-saude.pt 

Devido à elevada afluência, solicita-se que não recorra às linhas telefónicas para esclarecimentos sobre este assunto.

 

 

Vídeo sobre a COVID-19 criado pela Unidade Saúde Pública da Amadora

 

 

Sobre a COVID-19

O novo coronavírus, designado SARS-CoV-2, foi identificado pela primeira vez em dezembro de 2019 na China, na cidade de Wuhan. Este novo agente nunca tinha sido identificado anteriormente em seres humanos. A fonte da infeção é ainda desconhecida.

Ainda está em investigação a via de transmissão. A transmissão pessoa a pessoa foi confirmada e já existe infeção em vários países e em pessoas que não tinham visitado o mercado de Wuhan. A investigação prossegue.

A COVID-19 transmite-se pessoa-a-pessoa por contacto próximo com pessoas infetadas pelo SARS-CoV-2 (transmissão direta), ou através do contacto com superfícies e objetos contaminados (transmissão indireta).

A transmissão por contacto próximo ocorre principalmente através de gotículas que contêm partículas virais que são libertadas pelo nariz ou boca de pessoas infetadas, quando tossem ou espirram, e que podem atingir diretamente a boca, nariz e olhos de quem estiver próximo.

As gotículas podem depositar-se nos objetos ou superfícies que rodeiam a pessoa infetada e, desta forma, infetar outras pessoas quando tocam com as mãos nestes objetos ou superfícies, tocando depois nos seus olhos, nariz ou boca.

Existem também evidências sugerindo que a transmissão pode ocorrer de uma pessoa infetada cerca de dois dias antes de manifestar sintomas.

 

Saiba mais no Portal dedicado à COVID-19 da Direção-Geral da Saúde.