ACES Almada-Seixal promove literacia através de programa de rádio

Imagem1 1 690 400
27 Dezembro 2018


Com o objetivo de promover a literacia em saúde, envolver a comunidade nesse processo e criar uma relação de maior proximidade com os cidadãos, o Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Almada-Seixal estabeleceu uma parceria com a RDS - Radio Difusão do Seixal e todas as quartas-feiras emite o programa “De Médico e de Louco...”. Vacinas, diabetes, rastreio do cancro do cólon e reto, mochilas escolares e aleitamento materno são alguns dos temas focados. Sintonize-se e conheça as recomendações dos profissionais de saúde.

Para os promotores desta iniciativa, “o caminho para melhorar a saúde da população também passa por aqui, por capacitar os cidadãos para escolhas mais informadas e tomada de decisões mais conscientes, sobre a sua saúde”.

 


O programa de Rádio “De Médico e de Louco…” nasce no contexto do Projeto “Aces Acessível” e pretende ser um espaço dedicado ao diálogo, contando para tal com a presença de diversos convidados, desde profissionais do ACES Almada-Seixal a outros profissionais e especialistas ligados à área dos Cuidados de Saúde Primários (CSP), à promoção da saúde e seus determinantes. Em cada semana, trata-se um tema diferente e atual, procurando trazer à discussão exemplos de boas práticas em saúde. O programa oferece ainda sugestões, conselhos e dicas sobre o acesso aos CSP, bem como à aquisição de hábitos mais saudáveis, promotores de uma vida com mais qualidade.

O programa tem a duração de cinco minutos e é emitido às quartas-feiras pelas 08h30, com repetição às 20h30. O primeiro “De Médico e de Louco…” foi para “o ar” a 28 de novembro, na frequência 87.6FM, da RDS.


A literacia em saúde é um importante determinante social da saúde e possui um impacto significativo na qualidade de vida e bem-estar dos indivíduos. Estudos científicos mostram-nos que ela é tanto mais eficaz se for preconizada por profissionais de saúde, pois as pessoas acatam melhor as recomendações destes profissionais.


“Queremos fazer sentir que este programa é um espaço dos profissionais e da comunidade. Contamos com todos e todas para a continuidade deste projeto. Afinal…. de médico e de louco todos temos um pouco!”, alegam os promotores.