Violência é tema de curso para equipas regionais

Vio 1 1 690 400
05 Dezembro 2018

Porque a violência é uma entidade de saúde que pode atingir qualquer pessoa nas mais diversas fases da vida, é importante que os profissionais de saúde estejam atentos e devidamente formados para dar resposta a estas situações. Por isso, decorre de 5 a 7 de dezembro, no Hospital D. Estefânia, em Lisboa, mais um curso para as equipas que na Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) trabalham esta temática.


Luís Pisco, Presidente da ARSLVT, esteve na sessão de abertura do curso e felicitou os 200 profissionais que constituem as 45 equipas de prevenção de violência em adultos (EPVA) da Região. Em seu entender, estes profissionais “são os “sentinela” para os casos de violência que chegam aos serviços de saúde” e é pelo seu contributo “que a rede está a funcionar cada vez melhor”.

O mesmo responsável salientou a pertinência da formação, a qual permite que “este conjunto de pessoas esteja ainda mais desperto para a problemática”. Com 1.000 casos sinalizados e trabalhados pelas EPVA, Luís Pisco anunciou que em breve serão divulgadas orientações sobre violência nos cuidados de saúde, quer seja para com utentes ou profissionais.


Por sua vez, Ana Escoval, Presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central (CHULC), reafirmou “a disponibilidade do CHULC para ajudar num tema fulcral” como o da violência. De acordo com aquela responsável, os contactos breves com os utentes “são fundamentais para enquadrar e tratar a violência. Estejam muito, muito atentos porque todos juntos podemos fazer diferente”, apelou.


Já Vasco Prazeres, Coordenador Nacional da Ação de Saúde sobre Género, Violência e Ciclo de Vida (ASGVCV), advogou que este “é um problema de Saúde Pública que precisa de uma abordagem abrangente”. Essa abrangência na Saúde passa pela sensibilização e articulação entre os vários níveis de cuidados. O orador destacou o trabalho desenvolvido por Luísa Horta e Costa, interlocutora regional da ASGVCV e coordenadora científica do curso, pelo dinamismo empregue nesta área. 


Por último, Luísa Horta e Costa agradeceu a todos os intervenientes o apoio dado na concretização do curso e congratulou os presentes pelo interesse em desenvolver competências, adquirir conhecimentos e partilhar experiências.