Cuidados Continuados - ARSLVT terá mais 254 lugares até ao final do ano

Cuidados continuados 1 690 400
01 Agosto 2018

 

Na sequência da notícia divulgada ontem sobre alegadas pressões exercidas nos hospitais para não referenciação de utentes para unidade de Cuidados Continuados, a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) anuncia que vai continuar a abrir novos lugares em Cuidados Continuados Integrados (CCI) e vem esclarecer o seguinte:

• Reafirma-se o compromisso da ARSLVT com a população que serve, no sentido de permitir o acesso de todos os utentes com necessidades de cuidados de saúde e de apoio social de forma continuada e integrada.

• Neste sentido, tem-se apostado no reforço dos CCI na Região, o que se traduziu na abertura, já em 2018, de 76 novas camas de cuidados continuados nas várias tipologias (longa duração, média duração e convalescença), prevendo-se a abertura de mais 254 lugares até ao final do ano, sendo 102 novas vagas de Saúde Mental. De facto, ainda no ano passado foram criados os Cuidados Continuados Integrados de Saúde Mental, o que permitiu alargar a área de intervenção às pessoas com problemas do foro mental.

• Em suma, neste momento a ARSLVT disponibiliza 2.349 camas de cuidados continuados integrados, das quais 106 lugares de Saúde Mental.

• Este valor corresponde a um aumento de 3,3% face a 2017 e que até ao final do ano será de + 14,5%, o que manifestamente comprova o trabalho desenvolvido para dar resposta às necessidades dos cidadãos em lista de espera/inscritos na Rede de CCI. Esse trabalho inclui contactos permanentes com entidades diversas para que se possa aumentar a oferta, considerando a crescente procura.

• Também têm sido efetuadas diversas ações junto de hospitais e respetivos profissionais de saúde, fomentando as boas práticas de referenciação e promovendo as mais-valias da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI). Reforçando os canais de comunicação existentes entre os recursos humanos diretamente envolvidos, é incentivado o encaminhamento dos utentes sempre que existam critérios conforme regulamentação em vigor, estimando-se que esta atividade teve impacto positivo no aumento o número de referenciações: + 18,9% no 1º semestre de 2018 face ao período homólogo de 2017.

• Ao nível dos cuidados continuados domiciliários, nos casos com indicação clínica para tal, tem sido intensamente promovida a prestação de cuidados em casa do doente como alternativa ao internamento. Atualmente a Região possui 2.072 lugares de cuidados domiciliários integrados, envolvendo 59 equipas domiciliárias.
O objetivo de aumento de lugares domiciliários tem exigido o reforço de profissionais e de recursos materiais, criando equipas em áreas atualmente não cobertas, aumentando os horários de atendimento e promovendo o estabelecimento de parcerias com diversas entidades existentes na comunidade. A dotação das equipas domiciliárias com as condições necessárias para responderem às necessidades das suas populações-alvo vai continuar a permitir ao aumento do número de utentes beneficiários de cuidados de proximidade, estes que são um dos principais focos da estratégia da ARS na área de cuidados continuados.