ARSLVT forma profissionais em Cuidados Paliativos Pediátricos

Cpp1  1 690 400
12 Abril 2018

Como cuidar de crianças em final de vida e apoiar as suas famílias Esta é a temática central do sétimo módulo do Curso de Cuidados Paliativos, que decorre hoje na Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT). Ana Lacerda, Pediatra do Instituto Português de Oncologia (IPO) de Lisboa Francisco Gentil, e Joana Mendes, enfermeira do Centro Hospitalar Lisboa Ocidental - Hospital S. Francisco Xavier, são as formadoras de profissionais de saúde da região que habitualmente lidam com adultos em situação terminal.

“Portugal está a dar passos importantes” em matéria de Cuidados Paliativos Pediátricos, em grande parte devido à formação de profissionais de saúde. É por isso que “a International Children's Palliative Care Network já nos considera num nível intermédio” de cuidados, que significa que o País possui “provisão localizada e capacidade de formação”, explica Ana Lacerda. 


O curso organizado pela Academia de Formação da ARSLVT e pela Comissão Nacional de Cuidados Paliativos – por iniciativa da Administração Central dos Sistemas de Saúde (ACSS) – é, pois, uma prova inequívoca dessa capacidade. E este tipo de formação é tanto ou mais importante quando “estamos na fase em que é preciso passar das palavras aos atos”.

De acordo com Ana Lacerda, a pertinência destes cursos é ainda maior porque “em março foi publicada legislação que estabelece que todos os serviços de Pediatria devem ter uma equipa dedicada aos Cuidados paliativos Pediátricos”.

Como a maioria dos formandos deste curso lidam essencialmente com adultos, é preciso transmitir a mensagem que é preciso “dar visibilidade a estas crianças e perceber que há muito a fazer para as apoiar e às suas famílias”. E se a sobrevida pediátrica aumenta – e isso acontece porque os profissionais de saúde estão a dar respostas mais eficazes – também é preciso não esquecer que estas crianças e as suas famílias vão precisar de mais apoio”.