35º Encontro Nacional da APMCG: ARSLVT desafia médicos a trabalhar na região

Cartaz apmcg 1 690 400
13 Março 2018

 

“Venha ser médico de família na ARSLVT”. Este é o tema da sessão organizada pela Equipa Regional de Apoio (ERA) aos Cuidados de Saúde Primários da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) que pretende cativar clínicos para a região mais carenciada do País. A sessão vai decorrer no início da tarde de 15 de março, no âmbito do 35º Encontro Nacional da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, a decorrer em Vilamoura.

“Pretendemos revelar o que os médicos de família – sobretudo recém-especialistas, mas não só – podem esperar caso optem por trabalhar numa das unidades da ARSLVT. O objetivo é desafiar estes colegas a enveredar por novas realidades, permitindo atribuir médico de família a utentes que atualmente não o têm”, explica Eunice Carrapiço, Coordenadora da ERA.

Com mais de 533 mil utentes “a descoberto”, a ARSLVT poderá em breve colocar 43 especialistas em Medicina Geral e Familiar, o que irá permitir reduzir o número de utentes em cerca de 77 mil. Contudo, há ainda algum caminho a percorrer para dar um médico de família a todos os cidadãos da região. Para que a “caminhada” possa ser mais “curta”, têm estado a ser adotadas várias medidas para cativar e acolher de modo organizado os recém-especialistas em Medicina Geral e Familiar. E são essas medidas que vão ser abordadas no Centro de Congressos do Algarve.

Se estiver em Vilamoura na próxima quinta-feira, marque presença na Sala Gemini III, pelas 14H30. Saiba como é ser recém-especialista numa Unidade de Saúde Familiar (USF), numa Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) ou conciliar as consultas com a coordenação de uma unidade.

Não perca!