Unidade de Alcoologia de Lisboa acompanhou mais de 31 mil utentes em 50 anos

Img 1570 1 690 400
17 Novembro 2017

A Unidade de Alcoologia de Lisboa (UAL) já acompanhou mais de 31 mil utentes ao longo dos seus 50 anos de atividade. Estas “Bodas de Ouro” foram assinaladas no Fórum Lisboa, na quinta-feira, dia 16 de Novembro de 2017, num encontro comemorativo que teve como título "Conta-me como foi, e agora… para onde vamos…?" A sessão de abertura contou com a presença da presidente do Conselho Diretivo da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), Rosa Valente de Matos.

No seu discurso, Rosa Valente de Matos deu os parabéns a todos os profissionais da UAL “pelo que fazem há 50 anos pela Saúde, pelo bem-estar e pelo direito à felicidade dos portugueses”. Depois, a dirigente da ARSLVT lembrou “uma data, por mais bonita e mais redonda que seja, não é mais do que um ponto no calendário”. “O que verdadeiramente conta não é o que fazemos num dia mas o que fazemos todos os dias”, acrescentou Rosa Valente de Matos, defendendo que a UAL é “uma casa com futuro” e que é preciso “escolher o caminho certo para fazer acontecer”.

Além da presidente da ARSLVT, a sessão inaugural contou com o vice-presidente da ARSLVT, Luís Pisco, a coordenadora da UAL, Ana Croca, o coordenador da Divisão de Intervenção nos Comportamentos Aditivos (DICAD), Joaquim Fonseca, a diretora de Serviços de Planeamento e Intervenção do Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD), Graça Vilar, e o vereador do Bloco de Esquerda na Câmara Municipal de Lisboa com o pelouro da Saúde, Ricardo Robles.

No encontro, todos os participantes tiveram também oportunidade de contribuir para o resultado final de bordar uma rede, símbolo da importância do trabalho integrado e que envolva vários parceiros. Foi também lançado um livro alusivo aos 50 anos da UAL.

A UAL está integrada na DICAD da ARSLVT. Só em 2017, até setembro, foram proporcionadas 11.140 consultas assistenciais e passaram 153 pessoas pelo internamento desta Unidade da ARSLVT. Em 2016 as consultas tinham sido 13.912 e os doentes internados 214.

A UAL foi a primeira unidade especializada no tratamento dos problemas ligados ao álcool no país, pensada no início dos anos 60, quando o consumo de álcool per capita seria de 18 litros de álcool puro e existiriam cerca de 300.000 dependentes de álcool.

Ao longo destas cinco décadas de atividade ininterrupta, vários têm sido os cenários e os protagonistas, mas mantém-se o espírito que esteve na origem do nascimento da Unidade, a 2 de Abril de 1967, enquanto Centro António Flores: ter a porta aberta e cuidar de quem chega, quer sejam utentes, seus familiares e amigos. O internamento da Unidade baseia-se no modelo Minnesota adaptado, com inspiração na filosofia dos 12 passos dos grupos de autoajuda dos Alcoólicos Anónimos.

Os dados recentemente divulgados do IV Inquérito Nacional ao Consumo de Substâncias Psicoativas na População Geral, Portugal 2016/17, salientam o aumento do consumo de álcool, quer seja nos últimos 12 meses, ao longo da vida ou nos últimos 30 dias e a diminuição da prevalência do consumo entre os homens e uma subida entre as mulheres.

Para a psiquiatra Ana Croca, coordenadora da UAL e presidente da Comissão Organizadora destas Comemorações, os dados desta Inquérito “reforçam a importância do trabalho desenvolvido pela UAL e representam um desafio à forma de se pensar o tratamento do alcoolismo no futuro de forma cada vez mais multidisciplinar”. “O alcoolismo é uma doença que também afeta a família e a vida laboral. Quanto mais pessoas envolvidas no processo de reabilitação mais consistentes podem ser os resultados”, acrescenta a especialista.