Hospital da ARSLVT vence Prémio Saúde Sustentável 2017

Hds premiosaudesustentavel equipaprojeto 3 1 690 400
06 Outubro 2017

O Hospital de Santarém, da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, foi o vencedor da edição de 2017 do Prémio Saúde Sustentável. Esta iniciativa que tem como objetivo distinguir e premiar entidades públicas, privadas ou do sector social, que se tenham destacado por promover e implementar práticas e ações de sustentabilidade com impacto tangível na saúde.

O Prémio Saúde Sustentável foi atribuído ao Hospital de Santarém como reconhecimento pelo mérito do Projeto “Ambulatório Programado de Alta Resolução (APAR)”, dado o seu carácter pioneiro em Portugal e com enorme potencial de replicação. O APAR é um novo modelo de organização do atendimento em ambulatório, particularmente vocacionado para a satisfação das necessidades dos utentes, de forma rápida, eficaz, clinicamente segura e resolutiva.

Trata-se de um Projeto que teve em atenção as circunstâncias de uma população geograficamente muito dispersa, residindo, por vezes, a largas dezenas de kms do Hospital, e com sérias dificuldades de mobilidade, em termos físicos e financeiros.

O APAR tem como objectivo melhorar os serviços de saúde prestados aos utentes, implementando um novo conceito de atendimento: consulta de acto único. Este consiste em que, no mesmo dia, o utente seja observado pelo médico, sejam realizados os exames complementares de diagnóstico necessários à obtenção de um diagnóstico, após os quais regressará a casa já com uma proposta de tratamento e/ou tratamento. Para um número significativo de doentes o acto único poderá incluir um procedimento cirúrgico ou uma pequena cirurgia. Daqui resulta uma redução efetiva de tempo relativo à estadia do utente no hospital, reduzindo o tempo de espera para o seu diagnóstico e tratamento, e evitando muitas vindas ao Hospital.

O prémio foi organizado pelo Jornal de Negócios e patrocinado pela Sanofi Portugal, em parceria com a consultora Accenture. O júri, presidido por Jorge Sampaio, foi composto foi 15 elementos exigentes e integrou personalidades relevantes de reconhecido mérito como Maria de Belém e António Couto dos Santos, ex-Ministros, Francisco Ramos, ex-Secretário de Estado da Saúde, Abel Mateus e Pedro Pita Barros, economistas, Teresa Caeiro e Maria Antónia Almeida Santos, deputadas, entre outros.

O galardão estava dividido em quatro categorias. Na categoria de “Cuidados Hospitalares” foram finalistas o Hospital de Santarém, que foi eleito vencedor, e o IPO do Porto e Hospital de Cascais, que receberam Menções Honrosas.